Review - Resident Evil: Dead Aim - Playstation 2



Resident Evil: Dead Aim - Playstation 2

Resident Evil sempre foi uma franquia com vários títulos e ports para os mais diversos consoles de sua geração. Na época do Playstation 2, a Capcom decidira por se dedicar a títulos exclusivos para o console da Nintendo, o Game Cube, concorrente direto do Playstation 2 naquela época, e isso gerou um enorme vazio para os fãs da franquia e donos do console da Sony, que até então se contentava com um dos últimos títulos da franquia, o Code Veronica.

Que a verdade seja dita, o Game Cube foi mais um console da Nintendo que não vingou, era muito difícil ter ou conhecer alguém que tinha um desses na época, a maioria optava pela facilidade dos consoles da Sony e seus games piratinhas, encontrados em qualquer barraquinha de feira. Com isso, os 2 exclusivos da Capcom para o console ficaram esquecidos nesse console para só então conhecerem vida quando ganharam ports mais tarde para outras plataformas, hoje por exemplo temos os 2 games no Steam, Resident Evil Remake HD e o excelente Resident Evil Zero HD.

Mas nem tudo foi decepção com o Playstation, a Capcom não abandonou totalmente seus fãs e com muita ressalva Resident Evil: Dead Aim foi lançado para o console da Sony. Não posso dizer que é um dos melhores da franquia como também não posso dizer que foi o pior, Dead Aim tem peculiaridades que ninguém tinha na época e isso o destacava, lembrando que se tratava de um spin-off da série.

Resident Evil: Dead Aim trazia um enredo diferenciado, alguns o compararam com o título para o portátil da Nintendo, o Resident Evil Gaiden, por trazer uma história baseada em fatos decorrentes a cidade Raccon City. Diferentes ou não, ambos se situaram em um navio, no caso de Resident Dead Aim, o enredo se baseia em dois agentes indo investigar um navio na frança que possivelmente estaria levando consigo uma amostra do T-vírus.

O jogo possui algumas peculiaridades únicas como disse anteriormente aqui, o jogo não conta com nossos queridos heróis da franquia, Leon e Chris, aqui contamos com Bruce Mcgiver e a chinesa Fong Ling, que mais parecem terem saído de um filme de Hollywood do que de um videogame, mas ainda assim passavam credibilidade. Temos ainda duas perspectivas de jogo, uma em terceira pessoa e outra em primeira pessoa, assim como acontecia em Gaiden do Game Boy Color, o modo de ataque se baseava numa visão em primeira pessoa, onde contamos apenas com uma mira no cenário para acertar os inimigos. Um detalhe interessante aqui é que podíamos contar com a pistola do console para mirar e atirar, tornando o jogo muito mais dinâmico, já imaginou jogar um Resident Evil com uma pistola?

Falando um pouco dos gráficos, o game não decepcionava, mas também não trazia nada de tão inovador e diferente, a ambientação do game em um navio era por vezes meio frustante, mas os efeitos de sons e as músicas faziam bem seu papel de levar tensão ao jogador, é normal andarmos pelos quartos e salas do navio e ouvirmos gemidos dos zumbis e não encontramos nada.

Além de entregar uma boa dose de diversão, Resident Evil: Dead Aim não teve uma boa aceitação, muitos não o consideram um título da franquia, opiniões a parte, o game tem coisas únicas que o diferenciam dos demais, e para mim foi um ótimo game antes da chegada de Resident Evil 4, se gostaria de ter tido os dois exclusivos do Game Cube na época para jogar ao invés desse? É óbvio que sim! Resident Evil Dead Aim é um game curto mas essencial para quem curte um bom Survival Horror com um nome familiar no título.


Vídeo Gameplay



|__CisNegro__|







Posts Relacionados