Review - Virtual Boy Wario Land - Virtual Boy



Virtual Boy Wario Land - Virtual Boy

Se existe uma coisa em que a “Nintendo” com o passar dos anos ficou perita, foi o fato de sempre estar tentando inovar, sempre tentando trazer coisas novas para seus consumidores, mesmo quando esses não demostrando todo esse interesse por coisas novas, por mudanças, mas ainda sim a Nintendo, sempre ela, volta e meia aparece com algo que segundo ela mesmo é algo pensado e desenvolvido para seu consumidor, algo que eles ainda nem sequer sabiam que tinham interesse.

E foi com esse pensamento "vanguardista" que em 1995 a Nintendo resolveu lançar um novo portátil que funcionava apenas como console de mesa, algo que segundo ela iria revolucionar toda a indústria dos videogames, o “Virtual Boy”, que vinha com um conceito básico de introduzir o jogador na realidade virtual, algo que todos nos já conhecemos e bem que não aconteceu, e pior, acabou por se tornar um grande fracasso para a Nintendo que descontinuaria esse pouco tempo mais tarde com apenas 22 jogos lançado de forma oficial.

E entre esses poucos jogos lançados encontramos um que realmente se destaca “Virtual Boy Wario Land”, que por mais incrível que possa parecer, já que estamos falando de um jogo onde basicamente só iremos ver as cores vermelha e preta, como todos os outros jogos do console, além, é claro, das dores de cabeça que você com toda certeza vai ter, mesmo jogando por muito pouco tempo, ainda sim, esse é um jogo bem interessante.

Onde conseguimos encontrar cenários bem elaborados, onde que em vários momentos do jogo você vai jogar alternando entre dois planos, onde hora você vai estar próximo da tela e hora você vai pular para o fundo da tela para conseguir se desvencilhar de seus inimigos e seguir adiante, sempre quebrando blocos com a cabeça para pegar itens, correndo de lado com o ombro para atacar e também destruir objetos, ou mesmo o bom e velho pulo na cabeça dos inimigos.

Mas todos esses cenários sempre em lugares fechados, já que isso faz parte da historia onde que “Wario”, certo dia após despertar de uma de suas sonecas matinais, eis que avista um grupo de monstros, seres mascarados que vão em direção a uma queda d'água, Wario segue o grupo e espera esses deixarem o local, Wario passa pela queda d'água e descobre uma caverna secreta e dentro dessa existia um tesouro, mas quando Wario tenta pegar o tesouro ele aciona uma espécie de armadilha que fecha toda a caverna deixando o preso dentro dessa, e agora para conseguir sair dessa caverna Wario vai ter que completar pequenos puzzles e ir coletando itens e chaves para conseguir com isso alcançar a saída da caverna.

Durante o decorrer do jogo Wario vai encontrando diferentes chapeis, onde cada qual vai lhe proporcionar uma habilidade diferente, coisas como, o chapéu de “Búfalo” que lhe da o golpe de atacar os inimigos e quebrar coisas com os ombros, ou então o chapéu do “Dragão do Mar”, que te da o poder de soltar labaredas de fogo, ou mesmo o chapéu do “Rei Dragão”, que te da a poder de voar, e que por muitas vezes durante o jogo vai ser um dos chapeis mais utilizado pelo jogador.

E não se deixe levar pelo fato do jogo se passar dentro de uma caverna, já que ali dentro você praticamente vai encontrar todo tipo de lugar e situação, como jogar em baixo d'água, jogar em lugares arenosos, entre troncos de arvores, e tudo isso sempre tendo seus inimigos ao redor, inimigos esses que são bem variados e todos bem criativos e que se não tão resistentes, ainda sim vão te dar um pouco de trabalho, principalmente em momentos em que você estiver enfrentando um dos quatros chefes do jogo.

Que mesmo não sendo muito complicados, requerem um pouco de paciência, alias, o jogo como um todo não apresenta uma dificuldade muito elevada, muitas das vezes o seu maior motivo de perda de tempo é para encontrar onde está determinado item ou chave para conseguir dar sequencia no jogo, e mesmo isso não vai fazer você ter muitas dores de cabeça além das já produzida pelo próprio sistema em que o jogo foi construído.

Outra característica do jogo é que apesar de contar com uma trilha sonora, essas em muitas vezes passam quase que desapercebidas, sendo deixada de lado pelos próprios sons ambientes do jogo, que são bem legais por sinal, isso tudo porque as musica são bem calmas e sossegadas, dando a impressão de estar mesmo dentro de uma caverna, mais ainda sim temos algumas musicas muito boas, como as tocadas dentro da água, ou mesmo as da fase dos troncos, musicas essas que realmente se destacam entre as demais, mas que ainda sim todas com aquele ritmo de calmaria.

Virtual Boy Wario Land foi desenvolvido pela Nintendo, e publicado pela Nintendo em 1995 para Virtual Boy, inicialmente o jogo iria ser chamado de “Wario Cruise”, nome esse que chegou a aparecer em revistas e até mesmo na caixa do Virtual Boy, mas após seu lançamento resolveram rebatizar o jogo, jogo esse que recebeu criticas bem positivas, sendo considerado por muitos como o melhor jogo produzido para o console.



Vídeo Gameplay




(Dissection)




Episodio do podcast onde o Virtual Boy foi um dos videogames comentados:
Neo Player - 039 - Eles Fracassaram Miseravelmente








Posts Relacionados