Review - Mario VS. Donkey Kong - Game Boy Advance



Mario VS. Donkey Kong - Game Boy Advance

Não é de hoje que vemos Mario e Donkey Kong fazendo parte de um mesmo jogo, apesar de que é meio difícil você pensar em algum jogo envolvendo os dois personagens e logo não vir a sua cabeça “Mario Kart”, já que a franquia ficou muito popular. Mas ainda sim, quando pensamos sobre essa parceria não podemos deixar de lado um grande clássico que foi “Donkey Kong”, lançado no hoje já tão distante ano de 1981. Jogo que contava com Mario ainda intitulado “Jumpman”, que tinha que desviar basicamente de barris que iam sendo arremessados por Donkey Kong a fim de impedir que Jumpman / Mario chegasse até o topo e resgatasse “Lady / Pauline”.

Pois bem, algum tempo se passou, novas tecnologias foram surgindo e eis que a Nintendo resolveu repaginar a ideia de um jogo que contasse com Donkey Kong e Mario e que não envolvesse Kart. Surge então “Mario VS. Donkey Kong”, quase como uma espécie de sucessor espiritual do primeiro jogo baseado nos dois personagens, só que aqui a historia é diferente da contada na versão original do jogo. Já que a historia contada aqui diz que certo dia Donkey Kong assistido televisão descobre que existe uma nova moda, que eram os “Mini-Mario”. Donkey Kong parte para a cidade e descobre que eles já estavam em falta, então ele resolve ir até a fabrica e levar embora todos os Mini-Mario restante. Mario que é o dono da empresa parte em busca de Donkey Kong a fim de reaver os bonecos.

E como estamos falando de um jogo que tenta manter o espírito do primeiro jogo, uma coisa que chama logo a atenção, é que os cenários são bem diferentes, com vários pequenos detalhes espalhados por cada canto, mas os desenvolvedores resolveram colocar o sistema de escadas para que Mario consiga alcançar os diferentes níveis das plataformas durante cada fase. Escadas essas que logo nos faz lembrar das pequenas escadas em que Mario tinha que subir ainda lá no primeiro jogo. Outra coisa que também pode reavivar ainda mais suas lembranças fica por conta dos momentos em que você consegue pegar o martelo durante cada fase, e assim como na primeira versão do jogo você tem que sair martelando e quebrando tudo que vai aparecendo pelo seu caminho.

Os cenários são todos bem diferentes entre si, cada um deles possui uma única maneira de ser superado, e cabe a você ir subindo e descendo pelas escadas, passando por espinhos, se pendurado em cordas, coletando chaves e ir abrindo portas com o intuito de completar os quebras cabeças. Sim, cada cenário do jogo é basicamente um novo quebra cabeças que você tem que achar a melhor maneira de passar. Alem disso, durante esse percurso Mario vai adquirindo novas habilidades, já que no começo você apenas consegue andar para frente e para trás e fazer saltos simples. Mas com o decorrer das fases Mario vai adquirindo saltos mortais, aprender a andar com as mãos no chão (literalmente ele aprende a plantar bananeira), consegue praticar saltos bem mais longos, tudo isso para que Mario consiga superar cada fase, já que essas vão ficando cada vez mais difíceis e complexas.

Basicamente o jogo é dividido por seis mundos, cada um desses mundos conta com oito fases, onde seis são para serem jogadas por Mario e uma para você guiar os Mini-Marios que vão sendo coletados durante cada uma das fases anteriores até uma caixa de brinquedos. Completado essa missão você tem que ir para a próxima fase que é enfrentar Donkey Kong, que sempre que é vencido pega o saco com todos os Mini-Marios e foge para um novo mundo. Quando você finaliza o jogo pela primeira vez habilita um novo modo onde você tem que passar por outros seis mundos todos modificados e bem diferentes do que eram antes e ainda por cima com uma dificuldade bem elevada se comparado com os leveis normais.

Durante o decorrer do jogo você vai se deparando com diferentes inimigos, mas muitos desses inimigos já são figurinhas mais que conhecidas a todos que já jogaram pelo menos algum jogo da franquia do encanador, exemplos, “Thwimps”, “Phantom Guy”, “Thwomps”, “Shy Guy”, são só alguns dos inimigos que você vai esbarrar durante sua jogatina. O jogo alem de contar com gráficos bem bonitos para o Game Boy Advance, ainda contava com a movimentação dos personagens que eram bem elaboradas, principalmente os movimentos de Mario se assemelhando muito com os movimentos que vemos em jogos em 3D do encanador. Chega ser difícil você jogar, principalmente em suas primeiras vezes o jogo, e não ficar encantado com os movimentos que Mario faz durante o jogo.

A parte sonora do jogo também é muito boa, alem de contar com boas musicas durante cada uma das fases, o jogo contava com sons ambientes que caracterizavam ainda mais todo o universo dos dois personagens, gritos, rugidos, até mesmo pequenas falas foram adicionado ao jogo para que sua imersão dentro do jogo fosse completa. E mesmo o jogo não sendo tão difícil quanto era o primeiro jogo lançado em 1981, esse ainda sim vai pedir um pouco de tempo e paciência para que você consiga completar todos os níveis.

Mario VS. Donkey Kong foi desenvolvido e publicado pela “Nintendo”, e lançado para “Game Boy Advance” em 2004. O jogo foi bem recebido, ganhando notas que giravam entre 7,5 e 8, onde muitos diziam que o jogo conseguiu juntar toda aquela sensação do primeiro jogo em um novo jogo feito para os dias de hoje.



Vídeo Gameplay


(Dissection)






Posts Relacionados