Review - Demolition Man - SEGA CD



Demolition Man - SEGA CD

Vários dos jogos que compõe a biblioteca do SEGA CD eram de jogos existentes no Mega Drive e que ganharam uma versão para o aparelho de CD da SEGA. E o que víamos normalmente nessas versões era o mesmo jogo só que em alguns casos com a adição de cenas animadas ou retiradas de filmes, melhorias na parte sonora que ganhavam versões de suas musicas com qualidade de CD, coisas do tipo. Então por vezes o que víamos eram donos de SEGA CD dizendo que não iria comprar tal jogo, pois já tinha jogado o mesmo em sua versão de Mega Drive e não valia o investimento.

Demolition Man é um desses casos, onde que o jogo e basicamente o mesmo da versão de Mega Drive, mas que alem de adicionarem musicas com qualidade de CD, foram acrescentadas varias cenas retiradas do filme de mesmo nome. Cenas essas que para qualquer um que já tenha visto algum jogo de SEGA CD rodando já sabe o nível de qualidade dessas, imagens com baixa qualidade, e com um nível de granulação bem alto devido a compressão dos vídeos, mas que ainda sim davam um charme a mais, pelo menos para época, onde que esse tipo de coisa era novidade.

E esse como bom jogo de plataforma de tiro que era, era bem rápido, com respostas de controles bem precisas, em muitos momentos você tinha a sensação de estar jogando o jogo “The Terminator”, já que alem das mecânicas e velocidade serem bem parecidas, a primeira fase de ambos também contavam com varias características que se assemelhavam, mas isso na primeira fase, já quem em Demoliton Man alguns leveis mudavam completamente o estilo de jogo, partindo para uma visão top down, bem ao estilo do jogo “True Lies”. Em Demolition Man você ia correr, saltar, atirar, jogar granadas, subir e descer escadas, usar itens dos cenários para matar seus inimigos, coisas do tipo, atirar em um tambor de gasolina para que ele explodisse e matasse todos a sua volta, derrubar tanques dependurados em guindastes para matar inimigos que estavam escondido atrás de alguma coisa, varias coisas podem acontecer durante a partida devido a velocidade com que o jogo se passa.

E como estamos falando de um jogo baseado em filme, esse segue a historia do mesmo, ou pelo menos tentava, já que as cenas mais picantes do filme foram removidas do jogo. John Spartan que no filme é interpretado por “Sylvester Stallone” é um detetive do século vinte, que após capturar e prender Simon Phoenix que no filme é interpretado por “Wesley Snipes”, é acusado e preso pelas mortes de reféns feitos por Simon. Os dois teoricamente teriam que ficar cada um em prisões criogênicas, congelados até que cumprissem suas penas, mas em 2032 Simon Phoenix consegue escapar da prisão e começa colocar o caos em San Angeles (união entre as três cidades Santa Mônica, San Diego e Los Angeles), cidade essa que já não conhecia mais o que era a desordem e a criminalidade a muito extinta. Não vendo outra maneira os lideres da cidade resolve soltar John Spartan da cadeia afim de que ele conseguisse capturar e prendesse mais uma vez o vilão que a muito ele tinha o feito.

Durante o jogo vamos correndo e matando os capangas de Simon que vão entrando aos montes em nosso caminho, e tenho que fazer uma ressalva que existe uma boa variedade de inimigos, ou pelo menos, roupas que esses trajam, já que você vai se ver sempre matando algum inimigo diferente. E nessa de correr e matar os inimigos você vai encontrando Simon pelo caminho que vai sempre fugindo e consequentemente fazendo com que você veja uma nova cena retirada do filme e consequentemente avance de fase. Sempre lembrando que estamos falando de um jogo lançado ainda para os videogames de 16 bits, então não espere molezinha não, o jogo é bem difícil, fazendo com que você em vários momentos do jogo fique bem frustrado com certas coisas e situações que vão acontecer e que com muita certeza vão fazer você perder algumas vidas.

E como já mencionei, já que estamos falando de um jogo de SEGA CD, a trilha sonora aqui é impecável, apesar dessa ser bem baixa, ela fica tocando o tempo todo ao fundo de forma frenética. Os sons ambientes do jogo são também muito bons, sons de tiros e gritos de dor ecoam a todo o momento e até mesmo sons de helicópteros você vai ouvir ao fundo, fora o fato que foram acrescentadas algumas vocês nos personagens durante o jogo, que podem ser ouvidas em determinados momentos, tudo fazendo uso da capacidade extras que o jogo ganhava por estar rodando em uma mídia de CD, e sim, os cenários também são muito bons, apesar do jogo ter um tom meio escuro, você consegue notar bem todos os detalhes que cada fase tem a oferecer.

Demolition Man foi desenvolvido pelas “Acclaim Entertainment, Alexandria”, e distribuído pela “Warner Bros. Interactive Entertainment”, entre os anos de 1994 e 1995, para SEGA CD, Mega Drive e Super Nintendo, também existiu uma versão do jogo lançado para o 3DO, mas essa é em primeira pessoa completamente diferente das outras versões do jogo.


Vídeo Gameplay


(Dissection)







Posts Relacionados