Review - Gekido Advance: Kintaro's Revenge - Game Boy Advance



Gekido Advance: Kintaro's Revenge - Game Boy Advance

Gekido Advance: Kintaro's Revenge é a continuação direta do jogo Gekido: Urban Fighters lançado anos antes para Playstation. Diferente do que vemos no primeiro jogo onde tínhamos a oportunidade de escolher entre quatro personagens diferentes, nessa nova versão do jogo só contamos com um único personagem “Tetsu”, personagem esse que também esta presente no primeiro game da franquia.

E como não poderia deixar de ser o jogo seguiu o estilo do anterior o bom e velho Beat’n Up, mas ao contrario do primeiro aqui o jogo é todo em 2D, coisa essa que deixou o jogo com uma cara bem diferente do primeiro. Não é difícil você encontrar alguém que tenha jogado os dois jogos e não ter se dado conta que o jogo era uma continuação do outro, já que o primeiro em certos momentos chega lembrar um pouco jogos como Fighting Force ou mesmo Streets of Rage mas em 3D, enquanto que sua sequencia tem uma “pegada” oriental se passando no Japão onde você tem que ficar matando umas espécie de monstros e mortos vivos, tudo bem diferente do primeiro.

Mas também pudera visto que a historia do jogo diz que Tetsu certo dia resolve voltar para casa de seu sensei, mas chegando ao lugar ele descobre que um antigo templo tinha sido tomado por demônios, e com isso toda uma aldeia em volta começou a ser atacada por mortos vivos que começaram aparecer por todos os lados. Tetsu então parte para tentar limpar o vilarejo desses mortos vivos e descobrir o que esta acontecendo já que conversando com alguns moribundos que ele encontrou pelo caminho ele também descobriu que todas as crianças do vilarejo também tinham sumido.

Durante todo o jogo você vai passar por lugares como pequenas ruas, cavernas, ou mesmo templos, e mesmo não tendo uma grande variedade de lugares, já que por vezes você vai se ver jogando em algum lugar que você com toda certeza vai pensar assim, “mas eu não acabei de passar por aqui?!”, ainda sim, isso não vai ser um problema já que os cenários são bem feito. Mas uma coisa, principalmente para quem jogou a primeira versão do jogo que muito provavelmente não vai passar em branco é a trilha sonora, visto que no primeiro jogo foram usadas algumas musicas até que populares como as musicas do “Fatboy Slim”, enquanto que nessa continuação o jogo ganhou musicas próprias, mas o grande problema é que são muito poucas, você praticamente vai passar o jogo inteiro escutando uma musica, muito boa por sinal, quando não tem inimigos e ou outra musica um pouco mais empolgada quando aparecem os inimigos, mas vai ser essas mesmas musicas o jogo inteiro fazendo com que em muito pouco tempo você comece a ficar incomodado com aquilo.

Mas em contra partida a mudança para o 2D deixou os movimentos do seu personagem incríveis, não que na primeira versão não fosse boa, mas já que o jogo era em 3D feito ainda em uma época que os consoles ainda não tinham uma boa capacidade para isso, os movimentos dos personagens eram meio duros, quase robóticos. Enquanto que nessa nova versão os movimentos são todos bem fluidos, com uma boa riqueza de detalhes, fazendo você por vezes pensar que estivesse jogando um jogo de luta. E tudo isso não fica só na parte visual não, a jogabilidade em si é bem fácil, fazer qualquer sequencia de golpes, ou o que é que você tivesse pensando na hora é bem fácil e gostoso de fazer.

O jogo ainda conta com uma dificuldade bem considerável, e uma duração que pode fácil passar de uma hora e meia. E ainda conta com pequenas cenas animadas que vão passando conforme você vai avançando no jogo, chegando em alguns momentos lembrar um RPG ou coisa do tipo. Um dos grandes pecados do jogo é não poder jogar em modo cooperativo, através de cabos link ou coisas do tipo, e uma outra coisa que também incomoda durante o jogo é que durante seu trajeto vão aparecendo pequenos buracos que vão se abrindo assim de repente, até ai tudo bem, nada que outros jogos do estilo também não tinham, mas o problema aqui é que você quando cai em um desses buracos tem que sempre estar atento para colocar o direcional para o lado, para que quando seu personagem retornar a fase não retornar caindo no mesmo buraco, porque ao invés do jogo retornar com seu personagem em um outro ponto da tela ele sempre vai fazer seu personagem voltar exatamente no lugar que você caiu, que no caso especifico é um buraco.

Gekido Advance: Kintaro's Revenge foi desenvolvido pela “Naps Team” e publicado pelas “DSI Games e Zoo Digital” entre os anos de 2002 e 2003 para Game Boy Advance. Alem do primeiro jogo Gekido: Urban Fighters lançado para Playstation, os desenvolvedores um tempo depois chegaram a anunciar uma nova sequencia intitulada até então de “Gekido: The Dark Angel” que iria ser lançada para o Playstation Portable / PSP, mas depois de tanto tempo (anos) sem noticias do desenvolvimento do jogo muito provavelmente esse tenha sido cancelado.


Vídeo Gameplay


(Dissection)







Posts Relacionados