Review - Flashback - PC (Remake 2013)



Flashback - PC (Remake 2013)

Flashback é um daqueles jogos que conseguiu me chamar à atenção desde a primeira vez em que eu coloquei os olhos, mesmo essa primeira vez sendo apenas assistindo a um vídeo em VHS que meu amigo tinha pegado emprestado de outro amigo dele que tinha gravado o jogo, mas ainda sim, eu fiquei tão impressionado com a qualidade e mecânicas do jogo que tive que ir atrás do jogo para conseguir desfrutar de tudo aquilo.

E parando para pensar realmente esse jogo era bem inovador para sua época, onde alem de mecânicas bem diferentes dos tradicionais jogos que encontrávamos ainda o jogo tinha um visual que fazia você pensar que estava vendo realmente uma pessoal se movimentando, tudo isso graças a uma técnica chamada “Rotoscopia” que também foi utilizada em jogos como “Prince of Persia” e “Another World/Out of this World”, técnica essa que é considerada a precursora da captura de movimentos.

Mas vinte anos depois do lançamento do jogo eis que anunciam um novo jogo da serie, mas não uma continuação do primeiro jogo, mas um remake da versão original do jogo, onde você iria passar por todos os lugares e situações encontradas na versão original do jogo lançada a mais de vinte anos, mas com gráficos e jogabilidade adaptados para os dias de hoje.

E é exatamente isso o que vemos nessa nova versão do jogo, já que assim que você começa sua jornada tudo o que você viu e ouviu na versão original você vai presenciar aqui, o que torna o jogo bem mais interessante para quem jogou a versão original, já que vai poder ficar comparado ou mesmo tentando lembrar de lugares e situações que aconteciam no jogo e que estão presentes nessa versão.

E logo na primeira fase do jogo, logo após “Conrad B. Hart” despertar e você começar a dar seus primeiro passos pelo jogo você percebe o quanto a jogabilidade do jogo ficou melhor, não que a primeira versão do jogo tenha uma jogabilidade ruim, mas era algo meio travado e pedia um tempo de treino para você conseguir se adaptar a ela, coisa que não acontece nesse remake, já que coisa simples como correr e logo em seguida saltar são bem simples de se fazer, e não requer nenhum tipo de treino para você conseguir fazer tudo com maestria.

Outra coisa que salta aos olhos são os gráficos do jogo, já que estamos falando de um remake todos os cenários da versão original estão ali em suas respectivas ordens, mas todos esses foram reconstruídos usando motores gráficos bem atuais, no caso a “Unreal Engine 3”, e essas melhorias gráficas já ficam bem evidentes logo que você começa a percorrer seu caminho por dentro da primeira fase do jogo a floresta, onde que alem de já se depararmos com um ambiente muito denso em uma floresta muito rica e bem detalhada, foram acrescentados elementos visuais a mais para tirar nossa atenção como, por exemplo, ao percorrer pelo cenário e você ver passando na frente da tela bichos voando, chegando no inicio a dar a impressão que são inimigos que estão chegando para te atacar, coisa essa que por vezes vai fazer você atirar em vão ou pelo menos tomar um susto inicial te deixando alerta achando que algo vai te atacar.

Esse tipo de situação não fica restrito apenas ao primeiro cenário do jogo, já que em todos os outros cenários coisas parecidas a estas vão acontecer, como no cenário onde você tem que pegar um trem para ir de uma estação a outra e você vira e mexe vai ver personagens parados, ou conversando com outros personagens bem em frente a tela, como se estivessem lhe observando ou coisa do tipo.

O jogo ainda conta a mesma historia do original, Conrad B. Hart um agente das forças de investigações intergalácticas após uma missão tem suas memórias apagadas, e após uma perseguição esse cai em meio a uma floresta e tem como objetivo recuperar suas memórias e revelar ao mundo tudo o que de fato esta por acontecer. O jogo ainda conta com todas suas reviravoltas da mesma forma que o original, mas ainda sim, foi adicionado um pequeno mini-game dentro do jogo onde que você conforme vai implantando suas memórias pode resolver jogar e fazer uma espécie de treinamento para ir recuperando as lembranças ou então fazer da forma como era o original apenas implantar as memórias e voltar ao jogo, coisa bem similar visualmente falando ao que vemos no jogo “Metal Gear” em seu modo “VR Mission”. 

A trilha sonora do jogo também é a mesma do jogo original apenas trouxeram essa com uma roupagem nova para se encaixar a nova versão do game, outra coisa também que é notória nessa nova versão do jogo é a dificuldade que é ridícula de tão fácil coisa essa bem diferente da versão original onde não posso afirma se essa versão era mais difícil devido apenas por seus controles serem um pouco mais trabalhosos de se acostumar ou não, mas que essa nova versão chega beirar o ridículo de tão fácil isso não tem como negar.

Flashback (Remake 2013) foi desenvolvido pela “VectorCell” e publicado pela “Ubisoft” em 2013 para “PC”, “Playstation 3” e Xbox 360”. A versão original do jogo foi desenvolvida pela “Delphine Software International” e publicada pela “U.S. Gold” em 1992 e é um dos jogos franceses mais bem vendidos.


Vídeo Gameplay



(Dissection)







Posts Relacionados