Review - Spelunker - Nintendo



Spelunker - Nintendo

Tem certos jogos que não sabemos bem explicar o porque de ficarem guardados tanto em nossas cabeças, eles em geral não precisam ser necessariamente grandes obras ou algo perfeito, basta um simples motivo ou acontecimento para eles se alocarem em nossas mentes para sempre, sim! não só com jogos que isso acontece, com várias outras coisas também é assim mas o ponto aqui são jogos, então vamos falar de jogos.


Ainda me lembro com clareza da véspera de mais um daqueles feriados combados do tipo que caem sexta ou segunda feira. O feriado em questão era o dia dos finados, lá na casa dos meus pais era tradição neste dia não poder assistir televisão ou escutar música, o que dirá jogar videogame. Coincidentemente eu estava já com um jogo reservado na locadora e nem me liguei nesta questão, no fim das contas, ao sair do colégio passei na locadora e o levei para casa para passar esse feriadão comigo.


O jogo como não poderia ser diferente era Spelunker, como diz o título do post, eu estava atrás dele havia algum tempo por ter visto ou jogado em algum lugar não me lembro agora, o fato é que no dia do feriado só pude finalmente jogar com calma o jogo, na madrugada e ainda por cima escondido, me lembrar disso agora me bate até uma nostalgia, mas quem nunca passou por isso?


Spelunker não é uma obra prima, tão pouco um clássico, mas minha determinação para com ele foi tanta que até hoje me lembro dele com carinho, o game é um jogo de plataforma onde controlamos um escavador em busca de um tesouro escondido a muito tempo em uma caverna misteriosa. O jogo já me conquistou pelo atmosfera e pelos diversos enigmas, fantasmas dentre outras coisas obscuras que encontramos pelo caminho.


Os gráficos de Spelunker não chegaram a decepcionar, estão bem representados, o irritante mesmo eram suas músicas que ouvidas hoje mas se parecem com toques de celulares antigos, agora imaginem ter que escutar tudo isso em um fone de ouvido, sim! jogar na madruga e escondido requer táticas e uma delas é jogar no mais absoluto silêncio e com as luzes apagadas. Não tinha ou tenho do que reclamar dos comandos do jogo, simples e sem muito o que dizer se resumiam basicamente em saltar, atirar e acionar bombas acionando o direcional para baixo ao toque do botão do tiro, tudo bem simples como a proposta do jogo que após algumas horas de jogo, fica fácil você o terminar. Minhas reclamações do jogo ficam apenas com o "exagero" exagero mesmo com a forma com que morremos com facilidade neste jogo, beira ao absurdo, ver seu personagem morrer ao cair ou saltar de uma distância pífia de uma perna do personagem, altura não era o forte de nosso herói, ele se borrava todo.


Anos mais tarde vim descobrir numa procura por outras versões do game, que o jogo da Nintendo se trata de um port de outras versões como o Commodore 64. Outro fato curioso é que existe um anime chamado Spelunker, onde o astro principal é um professor que ensina seus alunos noções de segurança, acredito que não tenha nenhuma relação com o jogo mas fica a dica para quem se interessar, no mais um Spelunker ganhou uma continuação no Nintendo, Spelunker 2 infelizmente não carregou a mesma pegada do primeiro e para mim ficou meio que estranho jogá-lo.



Vídeo Gameplay



|__CisNegro__|






Posts Relacionados