Review - Shantae - Game Boy Color



Shantae - Game Boy Color

Shantae é um daqueles jogos que conseguem chamar a atenção logo de cara, e não apenas por ter um personagem atraente, mas muito pelo fato dessa personagem ser bem carismática, repleta de gestos e ações engraçadas e até inusitadas. Dificilmente você vai ouvir alguém que já tenha jogado algum jogo dessa personagem e não tenha simpatizado por tal, mesmo se por um acaso a pessoal não tenha gostado do jogo em sim, ainda sim, esse normalmente vai concordar que gostou da personagem.

Outra coisa que varias pessoas também não sabem, ou somente tomaram conhecimento muito tempo depois, foi sobre a primeira versão do jogo lançada ainda lá no final da vida do “Game Boy Color”, muitos que tiveram o portátil nunca sequer tomaram conhecimento sobre essa versão do jogo, ainda mais por que pouco tempo depois a Nintendo lançaria seu mais novo portátil o “Game Boy Advance”, fazendo com que as atenções de todos se voltassem para esse. 

Mas ainda sim, que jogo bem feito foi esse lançado para o Game Boy Color, é difícil você jogar e não ficar impressionado com todo o trabalho feito pelos desenvolvedores para conseguir lançar um jogo tão bem feito para uma plataforma com um hardware já bastante defasado para época. O jogo simplesmente tinha cenários incríveis, com muitas cores, cheios de detalhes, e movimentos, você poderia estar correndo por um lugar repleto de mato por todos os lados e esses estariam se movendo com o vento, mudanças climáticas, você ia percorrendo seu caminho e com isso a noite ia caindo e você iria jogar em cenários noturnos.

A jogabilidade também é outro ponto positivo do jogo, alem do fato de você ter pleno controle da personagem que você joga “Shantae”, fazendo com que coisas que pareçam muito complicadas acabem se tornando bem simples por seus controles serem muito responsivos, o jogo ainda é repleto de mecânicas diferentes, como por exemplo, você poderia estar andando por um lugar onde você ia ter que escalar uma parede ou arvore, simples, bastava você fazer uma dança especifica e Shantae iria se transforma em um macaquinho e você assim conseguiria subir onde bem entendesse, ou então você poderia ser transforma em um elefante e sair quebrando pedras e rochas que estivesse broqueando seu caminho.

Alias, essa é a maior marca desse jogo, a capacidade que Shantae tem de dominar certos encantos que podem transforma-la em outros seres / bichos, como Elefante, macaco ou até uma espécie de harpia, tudo através de movimentos que eram adicionados com o tempo durante a execução de suas danças típicas. Onde que em momentos específicos do jogo ela ia ganhado essas habilidade afim de se conseguir progredir no jogo, e também nunca deixando de lado o seu poderoso cabelo que é usado o tempo inteiro como arma para atacar os inimigos.

Shantae é uma garota órfã metade gênio metade humana que vive em um farol em um mundo fictício com características Árabes, piratas, alem de seres místicos. Certo dia “Risky Boots” aparece e rouba uma maquina ancestral, com isso Shantae recebe a missão de recuperar quatros pedras elementais que estão guardadas em quatro santuários diferentes a fim de impedir que essas caiam nas mão de Risky que pretende dominar o mundo com essas.

O jogo apesar de simples tem um sistema de progressão semelhante ao que acostumamos a chamar de “Metroidvania”, onde você chega em um determinado lugar e não consegue continuar, obrigando você a sair procurando por outras áreas tentando encontrar o determinado item ou o que mais possa ser para conseguir seguir enfrente. Durante o jogo você ainda vai ter interações com outros personagens que em alguns casos vão de dando dicas ou até mesmo itens para você, ou então, você vai ter que comprar esses itens, já que nem tudo é assim tão fácil.

A trilha sonora do jogo é um dos pontos fracos, que apesar de não incomodar, essa sofreu um pouco com a baixa qualidade do hardware de som do Game Boy Color. Já no quesito dificuldade essa é digamos assim moderada, já que você pode tentar simplesmente ir embora sem se preocupar em pegar tudo o que o jogo tem a oferecer, e com isso terminar bem mais rápido o jogo, ou então, tentar sair coletando tudo o que você puder durante o jogo, e com isso aumentar bastante seu tempo de jogo e a dificuldade.

Shantae foi desenvolvido pela “WayForward Technologies” e publicado pela “Capcom” em 2002 para Game Boy Color. O jogo durante muito tempo foi conhecido por ser um clássico "Cult" na biblioteca de jogos do portátil, devido ao fato de um jogo com qualidades gráficas tão boas ter sido lançado para uma plataforma que já estava com seus dias contados.



Vídeo Gameplay


(Dissection)




Episodio do podcast onde a personagem foi uma das mencionadas:
Neo Player - 035 - Elas são protagonistas







Posts Relacionados