Review - Volgarr the Viking - PC



Volgarr the Viking - PC

Uma das maiores lembranças de pessoas que viveram e jogaram jogos na geração 8 bits é referente a dificuldade dos jogos, hora por terem controles com respostas lentas ou mesmo com movimentações dura e travadas, ou ainda pelo simples motivo dos desenvolvedores serem quem sabe um pouco sacanas/sádicos e resolveram deixar seus jogos com uma dificuldade elevada, mais ainda sim é quase um consenso que jogos dessa geração serem sempre bem difíceis.

Mas com o passar do tempo essa dificuldade meio que foi desaparecendo até chegarmos a um período onde muitos jogos quase que se jogavam sozinho de tão fáceis que se tornaram, e meio que nessa levada é que começaram a surgir os denominados jogos “punitivos”, jogos esses que contam com um conceito básico, onde que se o jogador não se dedicar, não jogar com cautela estando sempre pronto para tudo, você simplesmente não vai conseguir prosseguir no jogo, perder em jogos como esses se torna a coisa mais normal pra não dizer corriqueira.

Volgarr the Viking é um desses jogos, que apesar de não ser um jogo tão produzido como jogos mais populares do estilo como, por exemplo, “Dark Souls”, ainda sim, é muito bem elaborado e ainda apela para algo que muitos nos dias de hoje vê com bons olhos, que é o fato dele ser todo produzido em pixel art, e ter todo um visual quase que de jogos 2D da geração 16 bits.

Visual esse que é todo muito bem trabalhado e que conta com uma grande diversidade de lugares e cenários diferentes, onde você vai passar por lugares rochosos, lugares a margem de rios e larva, beiras de precipício entre diversos outros lugares, sempre com um visual muito bem feito, e com uma quantidade de inimigos elevadas, inimigos esses que são sempre diversos uns dos outros, você praticamente não vai ver inimigos se repetirem durante uma passagem de fase para outra, fora o fato que ao matar esses muito sangue e ossos vão voar por todos os lugares.

E como todo bom jogo punitivo, para você conseguir passar por esses inimigos, em vários momentos você vai ter que aprender sobre o comportamento de cada, aprender como cada inimigo se comporta atacando, defendendo, entre ações por menores, alem é claro que em sub-chefes e chefes você vai ter que aprender e desenvolver formas e maneiras para conseguir vencê-los.

O jogo é bem simples, ou pelo menos é o que tenta passar de primeira vista, já que quando você começa a jogar percebe que alem de movimentos básicos, e atacar com a espada, você só vai contar com uma espécie de esquiva, onde você pode rolar para frente e para trás, para tentar se aproximar ou fugir de inimigos, mas sempre com movimentos meio lentos, já que aqui nada funciona de forma frenética, alem ainda de contar com uma espécie de zoom que você pode usar para aproximar a câmera.

A grande característica do jogo fica por sua dificuldade elevada, onde caso você venha morrer, você praticamente tem que começar a fase do inicio, ou então da metade em diante, já que o jogo conta apenas com um check point por fase e esse se encontra sempre na metade ou um pouco antes da metade de cada fase, e mesmo se você conseguir pegar todos os Power ups que estão espalhados por todos os cantos dos cenários, você ainda pode perder esses com um simples ataque de um inimigo.

Coisa essa que pode ser bem frustrante, ainda mais se você estiver tentando fazer o caminho das “Valkyrias” que nada mais é que um caminho paralelo que só se torna acessível quando você termina a fase anterior com todos os Power ups, e sim, esses são caminhos com uma dificuldade ainda maior aos encontrados no trajeto convencional, e pra complicar ainda mais, caso você tenha vontade de assistir a um dos diferentes finais, já que o jogo conta com mais de um final, você vai ter que terminar o jogo pelo temível caminho das valkyrias.

Aparte sonora do jogo também é bem interessante, já que basicamente você vai passar por todo o jogo escutando quase que um tema de combate, com um ar bem carregado, alem é claro dos sons de sua espada destruindo seus inimigos e seus gritos de dores, fora a imponente voz que recebe seu jogador a cada novo começo de jogo com os dizeres “Rise Warrior”.

Volgarr the Vikign foi desenvolvido pela “Crazy Viking Studios” e publicado pela “Adult Swim Games” em 2013 para “PC”, Xbox One”, WiiU, “Nintendo 3DS”, “Playstation Vita” e “Playstation 4”. O jogo também foi portado para Dreamcast e ficou disponível para download de forma gratuita em sua pagina oficial por um certo tempo, onde alem do jogo você ainda poderia baixar capa e seu manual. 


Vídeo Gameplay


(Dissection)






Posts Relacionados