Review - Sword of the Berserk: Guts' Rage - Dreamcast



Sword of the Berserk: Guts' Rage - Dreamcast

Este é um game para poucos, já vou logo avisando, ele se baseia num mangá que assim como o jogo também é feito para um determinado público. Mas o que diabos ele tem de tão diferente assim? Vou tentar explicar isso de uma maneira bem rápida e direta. Berserk é um mangá datado de 1989, ele possui um enredo sombrio, "doentio", com forte apelo a violência e a exposição sexual, e isso é bem escrachado em todo o desenvolver da trama, Guts é o personagem principal, uma espécie de mercenário que é amaldiçoado, traído e condenado a viver sem rumo por um mundo diabólico e sem Deuses, onde somente o pior dos seres humanos nos é mostrado. Mas e o game? Bom posso dizer que a Eidos soube trazer um pouco desse universo doentio para o console da SEGA.

Sword of the Berserk: Guts' Rage foi transformado em um Hack and Slash, aliás não consigo imaginar outro tipo de jogo para ele, Berserk possui bons gráficos e uma jogabilidade bem melhor do que outros títulos do próprio Dreamcast para a sua época. Quando o joguei me recordo que fiquei sem entender nada, sendo assim fui atrás do mangá e o terminei em umas 2 semanas, acreditem é viciante aquilo, mas como disse, não é para todos, a história se passa numa espécie de era medieval misturada com um universo paralelo repleto de demônios com fortes conotações sexuais, ritos, seitas que fazem nossa cabeça dar um nó, Berserk era diferente de tudo que já tinha lido até então, até descobrir que foi descontinuado, mas um tempo depois, bem mais tarde, descobri que talvez voltaria a ser escrito, mas não sei como anda isso vou até dar uma checada depois, agora vamos voltar para o jogo.

O game possui bons gráficos e boa qualidade sonora, as músicas assim como os efeitos são bem executados nesse maravilhoso console da SEGA, o que mais me chamou a atenção na época era que este jogo foi o primeiro onde eu jogava e pousava/colocava o joystick no sofá para assistir as CGs, a Eidos caprichou no enredo a ponto de que se eu não estou completamente enganado, corresponde a mais de 70% do jogo, o game é basicamente um filme, os trechos de luta são pequenos espaços onde devemos limpar a área de monstros e guerreiros para podermos continuar assistindo a trama que para quem gosta da franquia é sem dúvida a melhor parte do jogo.

Berserk teve uma outra aparição no console da Sony o Playstation 2 intitulado Berserk: Millennium Falcon Hen Seima Senki no Shō, produzido pela Sammy, o game tem, pasmem, a mesma jogabilidade do game da Eidos, time que tá ganhando não se mexe certo? Então está ai a dica, uma boa leitura e jogatina para quem se arriscar a entrar nesse universo doentio de Berserk, mas já vou logo avisando, uma vez dentro, você nunca mais será o mesmo.



Vídeo Gameplay



|__CisNegro__|



Episodio do podcast onde o jogo foi um dos jogos comentados:
Neo Player - 038 - Jogos Baseados em Animes / Desenhos e Tokusatsus







Posts Relacionados