Review - Super Mario Bros. Special - NEC PC-8801



Super Mario Bros. Special - NEC PC-8801

Todos conhecemos muito bem como é que a “Nintendo” trata seus jogos ou mesmo suas series, algo do tipo mão de ferro, então imaginar mesmo que de forma minimamente possível ver um jogo ou serie de jogos da “Big N” saindo para um outro console nos dias de hoje é algo praticamente inimaginável, mas nem sempre as coisas foram desse jeito.

Todos ou quase todos já conhecemos e bem que num passado hoje já tão longínquo a Nintendo de certa forma lançou ou permitiu que alguns de seus jogos fossem lançados para plataformas que não as da própria, como no caso do Philips CDI, onde encontramos além de jogos do famoso encanador “Mario”, ainda conseguimos encontrar jogos da serie “Zelda”, ou então mais antigamente para os Arcade e posteriormente para Atari, com o ainda intitulado “Jump Man” e seu “Donkey Kong”.

E é nessa levada que vimos a “Hudson Soft” levando um dos jogos mais populares da Nintendo para o “NEC PC-8801” que se você não conhece ou mesmo nunca ouviu falar saiba que se aqui no Brasil essa espécie de “Computador Consolizado” não fizeram muito sucesso ou mesmo passaram desapercebidos no Japão e EUA durante a década de 80, esse se tornaram bem popular justamente por trazer alguns títulos de jogos bem famosos que outrora só conhecíamos e tínhamos experiencia para consoles.

“Super Mario Bros. Special” como não poderia de ser conta exatamente a mesma historia que víamos na versão do jogo para Nintendo (8-bits), que dizia que certo dia o pacifico “Reino do Cogumelo” foi invadido pelos “Koopas”, uma tropa de tartarugas conhecidas por suas habilidades com magias, e durante essa invasão os habitantes do Reino do Cogumelo começaram a ser transformados em pedras, plantas entre outas coisas.

Mas durante essa invasão a princesa do Reino do Cogumelo “Peach” tenta em vão impedir essa invasão e acaba sendo raptada pelo líder dos Koopas “Bowser”, esse por sua vez tem a ideia de se casar a força com Peach e assim se tornar Rei do Reino do Cogumelo, e é nesse momento que aparece um encanador chamado “Mario” e resolve salvar a princesa Peach e colocar um fim a todo esse caos causado por Bowser e suas tropas, trazendo a paz de volta ao Reino do Cogumelo.

Apesar de ser visualmente bem parecido com o jogo do Nintendo e até mesmo contar com a mesma historia, uma das principais coisas que mais chamam a atenção nesse jogo, é que diferente da versão de Nintendo a onde a tela do jogo ia avançando progressivamente conforme você ia caminhando para frente, nessa versão para NEC PC-8801, a fase ficava parada, e quando você chegava ao final dessa, ela mudava para a próxima parte do cenário, coisa essa que de inicio pode parecer até que insignificante mas que conforme você começava a jogar você começava a perceber que isso acabava por complicar bem as coisas durante o gameplay.

Coisas simples como pular de uma plataforma para outra poderia se tornar uma grande dor de cabeça, visto que se a fase não avançava conforme você progredia, poderia ou mesmo acontecia quase que sempre de você chegar ao final de um percurso e quando você tentasse avançar para a parte seguinte do cenário esse era uma plataforma móvel e você não fazia ideia e acabava caindo já que não avançou o percurso de maneira correta.

Apesar desse problema do sistema de progressão da fase os controles do jogo eram muito responsivos, praticamente tão bons quanto a versão do Nintendo, mais ainda sim aqui existia um porem, já que estamos falando de um desses PCs “consolizados”, esse não era diferente e para jogar você tinha que jogar fazendo uso do teclado, e já que o jogo não te dava opções de remapear as configurações do jogo, você teria que aprender, e superar as dificuldades de além de jogar fazendo uso de um teclado, coisa que já não era assim tão fácil ainda mais para época, ainda teria a dificuldade que os comandos do jogos ficavam nos botões “Z”, “X” e direcionais da parte numérica do teclado, coisa essa que para uma pessoa que conheceu e jogou a versão de Nintendo poderia ser um pouco desconfortável pelo menos no inicio.

Graficamente o jogo também não era assim tão diferente da versão de Nintendo, apesar de que vez ou outra você notava que o gráfico do final de cada parte do percurso, além de você não chegar até o final da fase para ela mudar para uma nova parte do percurso, você ainda percebia que vez ou outro o gráfico meio que quebrava ou mesmo acontecia uma pequena distorção nada que atrapalhasse, mas coisas essas que não víamos acontecer na versão de Nintendo.

Os sons do jogo também eram os mesmo da versão original, onde vez ou outra notávamos algumas mudanças mínimas na velocidade das musicas, já que as vezes tínhamos a impressão de que a musica do jogo tocava de uma forma um pouco mais lenta, ou então quando o tempo de cada fase começava a chegar ao seu final a musica aumentava a velocidade mas de uma forma um pouco mais rápida do que o normal.

Super Mario Bros. Special foi lançado em 1986 para NEC PC-8801, sendo o jogo original desenvolvido pela “Nintendo” e o porte creditado a “HudSon Soft”.


Vídeo Gameplay




(Dissection)





Posts Relacionados