Review - Indiana Jones and the Infernal Machine - Nintendo 64



Indiana Jones and the Infernal Machine - Nintendo 64

Quem viveu a adolescência na década de 90, com certeza já deve ter ouvido falar da lenda que foi Indiana Jones, o Indi para os mais chegados. Indiana Jones é um arqueólogo aventureiro que na maioria de suas histórias parte em busca de algum artefato valioso, enfrentando com isso perigosas armadilhas e poderosos vilões sempre dispostos a atrapalhá-lo. Seus filmes como não poderia ser diferente, despertavam em todos um fascínio pelo ocultismo que consequentemente o transformaram em grandes sucessos nas telas da TV e cinemas.

Bem, como não estamos aqui para falar de filmes e sim de jogos, vamos então falar sobre eles. Eu particularmente joguei todos os games antigos do Indiana Jones, Nintendo (8 bits), Master System, Mega Drive, PC, Super Nintendo, etc... Destes todos, os que realmente considerava, eram os da Nintendo e os deliciosos point and click para PC. Alguns anos mais tarde, o nosso herói fora esquecido nos videogames e com isso cria-se uma lacuna ao meu ver para a chegada de Lara Croft, com Tomb Raider. Em Tomb Raider os videogames passam a conhecer uma outra atmosfera de jogo, um game todo em 3D com uma movimentação toda nova, com um espirito de liberdade para aquela época que até hoje me espanto quando lembro.

Ainda me recordo quando o joguei pela primeira vez em meu SEGA Saturn, eu jogava e dizia: "Cara, Indiana Jones ia ficar perfeito nesse esquema aqui!" e continuava a jogar. Alguns anos depois era lançado então algo que desejei alguns anos antes, uma pena ter o conhecido apenas no Nintendo 64 anos e anos depois, mais a experiência posso dizer que foi incrível, não que o game seja primoroso e perfeito, não, mas afirmo aqui que foi o melhor Indiana Jones que joguei num videogame.

Indiana Jones e a Máquina Infernal cria um enredo diferente da trilogia que estava datada na época de seu lançamento, aqui Indiana jones é chamado pela CIA para investigar sobre um objeto nas ruínas da babilônia que acredita-se ser a lendária Torre de Babel, aqui chamada de Máquina Infernal.

O jogo para quem o jogou deve ter deixado algumas cicatrizes, sim, o jogo é muito "bugado", eu que joguei no Nintendo 64, apesar de todo o meu entusiasmo não pude deixar de passar raiva com suas constantes falhas de programação, algo como ficar preso no cenário e ter que resetar o game toda vez que isso acontecia, era algo que se tornou comum para mim no decorrer do jogo, isso só falando do básico até porque não vou queimar o jogo pois ainda gosto muito dele.

Indiana Jones de Nintendo 64, tinha uma jogabilidade boa, os gráficos estavam bem representados no jogo, alguns cenários bem caprichados e seus incontáveis puzzles que precisavam ser resolvidos para seguir adiante, faziam toda a diferença nessa trama confusa, porem gostosa de seguir, e o que falar então da lendária musiquinha "tânananâ tânana". Nosso herói contava com algumas armas, com balas infinitas se não me falha a memória e seu famoso chicote, como não podia faltar, claro!

Para quem não conheceu o jogo, tenho apenas que lamentar, pois hoje em dia sem um Nintendo 64 em mãos não pude ver uma outra maneira de jogar esse. Para quem conseguir jogar ou até mesmo partir para a versão de PC que acredito ser o caminho mais fácil, posso dizer que terá em mãos um game único e datado de nosso herói que só foi aparecer em um outro game do mesmo gênero no Playstation 2. 

Uma outra dica, mais fácil de se jogar por assim dizer é um port bem feito do game para o "pequeno notável" da Nintendo, Game Boy Color.




|__CisNegro__|








Posts Relacionados