Review - Arabian Nights: Sabaku no Seirei-ō - Super Nintendo



Arabian Nights: Sabaku no Seirei-ō - Super Nintendo

Um fato curioso mas bem normal é o fato que conforme vai se passando o tempo os desenvolvedores vão conseguindo tirar sempre o melhor dos hardwares dos consoles em questão, então uma coisa mais que normal é você pegar um jogo feito no começo de uma geração e um jogo produzido já com alguns anos de existência de um console e você conseguir notar claramente a evolução gráfica de cada um dos jogos.

Isso vale para todos os consoles, quanto mais tempo ele tem de vida melhor vai ser os resultados obtidos pelos desenvolvedores de jogos, e isso não foi diferente com o “Super Nintendo”, apesar de ser conhecido por possuir jogos com uma boa qualidade gráfica, ficava bem visível o quão bem feito graficamente os seus jogos iam se tornando conforme o tempo foi passando.

Um jogo que mostra claramente o que eu estou querendo dizer é o jogo “Arabian Nights: Sabaku no Seirei-ō”, um “RPG” ou como queiram “JRPG” lançado para o Super Nintendo já no final da vida do console, um jogo com um sistema de batalhas randômicas em turnos bem tradicional e que em certo ponto bem parecido a outros jogos do mesmo gênero para o console, mas ainda sim o sistema de batalha possuía um diferencial já que aqui além das habilidades de cada personagens, foi implantado uma espécie de jogo de cartas com diferentes elementos e cada qual numerada de forma crescente e que dependendo de certas combinação em batalha poderia culminar em ataques fortíssimos ou mesmo letais aos seus inimigos.

O jogo também contava com uma trilha sonora muito agradável e bem variada, onde essa variava de lugar para lugar nunca se tornando chata e repetitiva, chegando ao ponto de em um mesmo ambiente você ouvir mais de uma musica, já que essa também variava dependendo de certas ações que iam acontecendo durante o gameplay.

A historia do jogo começava a milhares de anos atrás quando os espíritos conhecidos como “Djinn” viviam junto com os seres humanos, os Djinn eram governados pelo rei dos Djinn “Ifrit”, mas um dia um magico chamado “Suleiman” desafiou Ifrit para um duelo e nesse duelo Ifrit não conseguiu suportar o imenso poder do mago e veio a ser derrotado, e assim Ifrit se tornou obrigado a servir o mago.

Mas com o passar do tempo Suleiman foi atacado por um estranho inimigo e Ifrit ficou enfurecido com isso e resolveu atacar esse desconhecido, mas Suleiman já sabendo que Ifrit não seria capaz de derrota-lo decidiu sabiamente dividir o seu poder em 8 cristais diferentes e manter Ifrit aprisionado em um anel, e esse só se tornaria livre novamente após conceder 1000 desejos diferentes,  depois de muito tempo eis que “Shukran” uma órfã encontra o anel e faz um pedido ao anel para que a paz voltasse a reinar, e como esse se tornou o milésimo pedido Ifrit se tornou livre novamente, e em gratidão pela liberdade Ifrit e os Dijinn se aliam mais uma fez aos humanos e partem em uma jornada para acabar com os demônios (“Deev” como eram conhecidos)  que estavam impregnando a terra.

Esse jogo ainda tinha outro porem ele é mais um daquela serie de jogos que nunca foram lançados oficialmente fora do Japão, então para você jogar e conseguir entender a historia ou você tem que ter domínio sobre o idioma Japonês ou apelar por alguma tradução feita por fãs, o jogo também tinha um visual muito bonito, pois como já comentei anteriormente ele já foi lançado no final da vida do Super Nintendo então os desenvolvedores conseguiram tirar o máximo de poder do console para produzir esse jogo, e o que você vai ver durante todo o gameplay são cenários muito bem elaborados, com uma grande variedades de ambientes, que vai desde montanhas, planícies até por lugares de vegetação intensa.

Mas como o próprio nome do jogo sugere o jogo é todo ambientado naquele estilo árabe, ou como queiram das mil e uma noites, então não estranhe ao se deparar com personagens com visuais e estilos bem peculiares que você vai encontrando durante sua jornada, já que personagens com turbantes, lenços ou outras coisas do tipo vão fazer parte não só do visual dos integrantes de seu grupo mas como o seu próprio visual.

Arabian Nights: Sabaku no Seirei-ō foi desenvolvido pela “Pandora Box” e publicado exclusivamente no Japão para Super Nintendo em 1996 pela “Takara”.


Vídeo Gameplay




(Dissection)




Posts Relacionados