Review - Kamen Rider: Seigi no Keifu - Playstation 2



Kamen Rider: Seigi no Keifu - Playstation 2

Acho que não existe nenhum garoto ou adolescente que tenha vivido o final da década de 80 e começo da década de 90 e não tenha vivenciado os tempos áureos da hoje já extinta “Rede Manchete”, emissora de TV que ficou popularmente conhecida por transmitir “Animes” e “Tokusatsus” japoneses em terras tupiniquim.

Praticamente não existia um garoto (a) ou adolescente que não parasse o que estivesse fazendo ou mesmo saísse correndo da saída da escola para chegar o mais rápido possível em casa para assistir series como “Jaspion”, “Jiraiya”, “Jiban”, e também o popular “Black Kamen Rider”, mas curiosamente toda essa qualidade e porque não carisma, nem sempre foi muito bem transportados para os videogames, mas ainda sim conseguimos encontrar bons jogos com essa temática.

Kamen Rider: Seigi no Keifu segue aquele estilo de jogo com visual de câmeras paradas onde você vai se locomovendo e a câmera vai mudando de posição conforme o decorrer do seu caminho, estilo mais que conhecido da serie de jogos “Residente Evil”, apesar que essas mudanças de câmeras aqui em certos momentos não são instantâneas e entre uma posição e outra das câmeras acabam acontecendo algumas pequenas pausas mas nada que incomode ou  atrapalhe o jogo.

A historia do jogo começa em 1972 com o “Kamen Rider 1” onde em um encontro inusitado você acaba descobrindo sobre a existência de um "ser" ou "monstro" que tem a habilidade de viajar no tempo, e com isso ele pretende colocar um fim nos “Riders”, já em 2004 no controle agora do “Kamen Rider Agito” você acaba percebendo que durante os 4 primeiros capítulos você vai jogar com “Riders” diferentes, “Kamen Rider 1”, “Kamen Rider V3”, “Kamen Rider Black” e “Kamen Rider Agito”, onde cada qual não tem acesso a os outros Riders até chegarem a um centro de comando onde em fim eles podem se comunicarem entre si e então Kamen Rider 1 revela aos outros tudo o que esta se passando.

Apesar de não ter uma historia muito complexa ela é mais que suficiente para te colocar dentro de todo aquele ambiente da serie televisiva, e para aumentar ainda mais essa imersão o jogo conta com todos aqueles sons ambientes que envolve esse gênero, e com uma trilha sonora muito marcante, e mesmo o jogo sendo totalmente em Japonês tanto legendas como áudios, é justamente isso que faz aumentar nossa imersão no jogo, e já que o áudio do jogo era em japonês e no jogo durante as cenas acontecem conversas entres os personagens você acabava se sentindo ainda mais parte da trama devido ao fato das vozes serem semelhantes aos da serie televisiva, ao invés de usar vozes em inglês que poderia descaracterizar um pouco o jogo.

O jogo conta com gráficos muito bons principalmente para época (apesar de já existir jogos com gráficos muito superiores aos vistos aqui), e como já mencionei anteriormente durante o jogo iam acontecendo cenas entre os personagens para o desenrolar da historia, e essas cenas eram todas feitas usando os próprios gráficos do jogo, desde a apresentação do jogo até o final todas as cenas são do mesmo modo você não vai encontrar cenas em “CGs” o que talvez fugiria ou causasse uma discrepância com a qualidade gráfica vista em jogo.

E já que o jogo segue aqueles moldes de Resident Evil, durante o jogo você vai se vê checando seu inventario para administrar seus itens, vai usar o mapa frequentemente para se localizar dentro do jogo, e ainda vai entrar em combates com os seus inimigos usando socos e chutes para conseguir se desvencilhar de seus inimigos, inimigos esses que ao serem derrotados não caiam no chão e simplesmente sumiam, aqui eles meio que entravam em auto combustão ou coisa do tipo para então terem seus corpos consumidos por essas chamas , fora que você durante o jogo pode jogar tanto trajado como Rider ou mesmo sendo um civil.

Kamen Rider: Seigi no Keifu foi desenvolvido pela “Eighting” e publicado pela “Bandai” em 2003 para Playstation 2, algumas publicações chegaram a destacar o jogo dizendo que mesmo com as semelhanças do gameplay do jogo com as de Resident Evil ainda sim os produtores do jogo tinham conseguido tirar o melhor dos 2 mundos e construir um bom jogo baseado no universo de Kamen Rider.


Vídeo Gameplay




(Dissection)



Episodio do podcast onde o jogo foi um dos jogos comentados:
Neo Player - 038 - Jogos Baseados em Animes / Desenhos e Tokusatsus








Posts Relacionados