Review - Time Trax - Super Nintendo



Time Trax - Super Nintendo

Jogos baseados em filmes sempre me deixaram com um pé atrás devido a grande quantidade de jogos ruins baseados em filmes que encontramos sem fazer o menor esforço possível, sempre que um novo jogo era lançado era quase que normal a critica cair matando e falando o quanto os desenvolvedores quiseram sugar a popularidade de determinado filme para conseguir vender seus jogos.

Mas o que dizer então de um jogo que foi baseado não em um filme, mas sim em uma serie de TV produzida em parceria entre EUA e Austrália, não preciso nem dizer qual foi minha realça ao descobrir tal existência, minha falta de vontade ou mesmo desinteresse completo em perder o mínimo de tempo que fosse para jogar um jogo com essas características.

Time Trax me surpreendeu logo de cara, primeiro por que era um bom jogo baseado em uma serie de TV, e também pela agilidade do jogo, a velocidade com que seu personagem conseguia executar todos os seus movimentos e que não eram poucos, já que você conseguia correr, pular, saltar, atirar com armas de fogo, dar socos, chutes, voadoras entre outras coisas, era um vasto arsenal de habilidades que aquele personagem conseguia fazer e de forma tão bem feita que não tinha como eu não gostar de tudo aquilo.

 Já que o jogo era baseado em uma serie de TV esse seguia o enredo dessa serie, que tem inicio no ano de 2193, quando um cientista conhecido como “Dr. Mordecai Sahmbi” cria uma maquina que pode voltar no tempo denominada “Trax”, esse por sua vez resolve enviar para o passado diversos fugitivos da policia para que assim pudessem escapar, é ai que entra em ação o detetive de policia chamado “Darien Lambert”, que descobre a localização da maquina Trax e descobre que o Dr. Mordecai Sahmbi tinha fugido e ainda levado consigo diversos outros fugitivos para o ano de 1993.

Darien Lambert não pensa duas vezes e resolve que teria que ir atrás do Dr. Mordecai Sahmbi e todos os outros fugitivos e trazer todos de volta ao seu tempo, e para isso além de suas próprias habilidades Darien Lambert ainda iria contar com a ajuda de um micro computador bem pequeno denominado “SELMA” (Specified Encapsulated Limitless Memory Archive), SELMA por sua vez tinha o papel de ser a porta voz entre o passado e presente para Darien Lambert, além de ajudar dando dicas e informações de como se aproximar de determinados inimigos.

Como já mencionei os controles do jogo eram excelentes, você tinha completo domínio de seu personagem tudo era muito responsivo e bem ágil, você conseguia executar seus inimigos com armas lasers, ou então entrar em um combate corpo a corpo com seus inimigos tudo de forma bem natural, outra coisa bem interessante era que os inimigos também se valiam de artificieis do cenário, onde que se você entrasse em combate com um inimigo e no local em que você estivesse lutando tivesse algum lugar onde esse inimigo pudesse se pendurar para que com isso ele tirasse vantagens no meio da luta ele assim o faria.

Os cenários do jogo também eram todos muito bem feitos, você esta no ano de 1993 e vai percorrer por diversos locais como “periferias”, “galerias de esgotos”, “prédios em construções”, por matas fechadas, ou então além de jogar com Darien Lambert correndo e batendo nos inimigos, você também em determinados lugares iria fazer uso de outros meios de transportes como “Motocicletas” e “Jet-ski”.

A trilha sonora do jogo ficou a cargo de “Richard Joseph” que conseguiu criar temas para o jogo muito bons e que se encaixavam muito bem ao estilo do jogo, chegando em certo ponto lembrar as faixas da trilha sonora de um outro jogo bem parecido com esse “Flashback”, mais ai entra uma curiosidade, é que ouve a ideia de se lançar uma versão desse jogo para o “Mega Drive”, e essa versão chegou até a começar ser produzida e para a trilha sonora dessa versão de Mega Drive foi convidado um outro compositor, “Tim Follin”, mas já que essa versão do jogo nunca chegou ver a luz do dia, nada se sabia de como seria o jogo ou mesmo a trilha sonora.

Mas muito anos depois já com o advento da internet alguma alma caridosa em posse de uma versão protótipo do jogo soltou um vídeo na internet e nesse víamos que o jogo teoricamente seria igual a versão do Super Nintendo, com a diferença que a trilha sonora era muito superior, já que nesse vídeo ficamos conhecendo cinco das musicas feitas por Tim Follin para o jogo e o mais curioso ainda, essas são as únicas musicas feitas por Tim Follin para o Mega Drive.

A dificuldade do jogo era em certa parte moderada, além de você ter pleno controle das ações de seu personagem, assim que você percebia como funcionava o sistema de cada fase, onde ficavam os pontos em que você devia chegar para conseguir avançar no jogo e a melhor maneira de se desvencilhar de certos inimigos, você rapidamente conseguia avançar e assim consequentemente terminar o jogo que não era assim tão longo, entorno de 50 minutos à 1 hora para chegar ao seu final.

Time Trax foi desenvolvido e publicado pela “Malibu interactive” e lançado para Super Nintendo no final de 1993 e começo de 1994, uma versão para Mega Drive chegou a ser projetada mais essa nunca chegou a ver a luz do dia de forma oficial.



Vídeo Gameplay






(Dissection)





Posts Relacionados