Review - The Crow: City of Angels - SEGA Saturn



The Crow: City of Angels - SEGA Saturn

"O Corvo" originalmente foi uma série de história em quadrinhos, sendo mais tarde adaptada para as telinhas do cinema, a história se baseia no assassinato do casal Eric e Shelly numa noite que precede o Halloween. Eric então é revivido por um corvo que passa a guiá-lo em sua caçada em busca dos assassinos.

Todos nós temos um certo apego a algum herói, sejam eles das telinhas ou dos quadrinhos. O Corvo ficou mais conhecido no meio Underground, não se popularizou tanto quanto os outros, após ser adaptado para o cinema, a coisa se tornou mais "estranha" por assim dizer, o primeiro filme foi um sucesso para a época, mas alguns fatos ocorridos nos bastidores o tornaram um filme "sinistro", O ator que interpretava o Corvo "Brandon Lee" morreu durante as filmagens, deixando assim o desfecho para um outro ator, isso na época foi bem polêmico mas não cabe aqui falar sobre o filme e sim do único jogo já feito sobre O Corvo.

Eu quando tive contato com este jogo, fiquei animado em jogá-lo, a capa era bem produzida, os gráficos todos em 3D ainda eram uma novidade e ver num papel aquilo tudo quadriculado não queria dizer muita coisa até então, a primeira impressão foi de que se tratava de um jogo estilo Beat´em Up, até então não tinha lido nada a respeito e resolvi arriscar, não pelo jogo que pude ver nas imagens da capa, foi muito mais pelo enredo que já conhecia.

The Crow: City of Angels posso afirmar com toda minha convicção que foi um dos mais toscos e mal feito que me vi obrigado a fechar em toda minha vida, como havia comprado o game, não dei o braço a torcer e segui com ele até zerar só de raiva mesmo.

Os gráficos são mal feitos, o jogo tem muitos bugs, mas muitos bugs mesmo, você tenta com toda paciência do mundo gostar de alguma coisa, relevar outras, procurar algo de bom, mas fica difícil tamanha quantidade de contras que ele tem. Se você tirar de um jogo, gráfico, Jogabilidade, música, o que ainda falta? O Enredo? Certo! Talvez fosse isso que me fez seguir em frente e aturar tudo aquilo.

A jogabilidade do jogo chega a ser patética, o boneco se movimenta de uma maneira engraçada, parece que está cagado ou algo assim, e isso tira todo o tesão da coisa, o jogo era para ser de um vingador "fodão" indo atrás de uma gangue que o matou junto com sua namorada, não poderia ser desse jeito, não poderia mesmo. O jogador conta com golpes básicos como: chutes e socos, podemos também coletar armas como facas, pistolas, garrafas que estão espalhadas no jogo, o personagem ainda pode contar com uma corrida que é totalmente desnecessária e um movimento de abaixar para esquivar de golpes e tiros.

Com o som podemos até nos acostumar, a música é um rock meio repetitivo que chega a enjoar com o tempo, mas até que é aceitável, as vozes dos inimigos são "bugadas", você os acerta e só depois eles emitem som.

O que me deixa chateado é não ter visto um jogo a altura desta série, é tipo filho único da franquia, não tem outro, é esse ou a versão do Playstation que é a mesma coisa, The Crow: City of Angels é um game para quem ainda lembra e gosta da trama, um jogo passado, esquecido e enterrado com todos os seus mistérios.



Vídeo Gameplay






|__CisNegro__|







(Review publicado originalmente em: 25/11/2013)






Posts Relacionados