Review - Tomb Raider - Game Boy Color



Tomb Raider - Game Boy Color

Acho que já disse por aqui antes que o Game Boy e o Game Boy Color foram os videogames portáteis que menos tive contato em minha adolescência, fui conhecer algo destes consoles muitos anos depois com a chegada dos emuladores, mesmo assim, a curiosidade foi quem me moveu a ir atrás dos vários títulos destes pequenos consoles da Nintendo, já que com tantos outros videogames disponíveis, ir atrás de jogos para estes dois consoles, não era muito animador.

Conheci os games da Lara Croft para o Game Boy por acaso, na época estava re-jogando Duke Nukem para o próprio Game Boy Color, quando me deparei com telas no Google de um game da Lara Croft, como havia gostado da screen, baixei o jogo e comecei a jogar.

Tomb Raider é um game de aventura sobre uma plataforma 2D, aqui vemos Lara Croft fazendo o que sabe fazer de melhor, explorar artefatos antigos e se confrontando com os mais diversos inimigos, com suas manobras a la Prince of Persia e um toque de Lara Croft, a Core desenvolvedora do game soube como ninguém equilibrar um bom jogo de ação já consagrado para outros consoles, para o pequeno portátil da Nintendo, portátil este que foi o primeiro a receber um jogo da maravilhosa Lara.

O game conta com gráficos bem desenvolvidos para o console, aqui temos até cutscenes com imagens digitalizadas dando um charme a mais ao jogo. O que realmente me desagradou não só nesta versão como na sua continuação que veio posteriormente, foram o áudio, uma música barulhenta é tocada quando se narra a história, e só, o game segue sem áudio nenhum, apenas com sons de tiros e do cenário, o pior é que a cada fase está ordem se repete, uma música barulhenta e silêncio absoluto.

A jogabilidade de Tomb Raider é boa, bem fluída, sacamos e guardamos a arma de Lara como se estivéssemos em seu jogo original, o 3D, comandamos a direção dos tiros e ainda contamos com acrobacias no ar seguidas de saque de arma e ou vice-versa, enfim o game é bem divertido de se guiar.

Tomb Raider 1 e sua sequência para o Game Boy Color é uma boa pedida para quem é fã da série e gostaria de ver como ficaria um jogo de sua amada num console 8-bits.



Vídeo Gameplay




|__CisNegro__|



Episodio do podcast onde o jogo foi um dos comentados:
Neo Player - 043 - Jogos de Portáteis







Posts Relacionados