Review - Sonic Adventure - Dreamcast



Sonic Adventure – Dreamcast

Desde 1988/9 (não lembro bem) quando ganhei meu primeiro videogame eu nunca fiquei sem ter um videogame em casa, todas as novas gerações de videogames que iam surgindo eu sempre tinha algum modelo em casa para me divertir, Atari2600,Master System, Super Nintendo, Mega Drive, Playstation, Nintendo 64 entre outros (lógico que nunca tive todos ao mesmo tempo, eu tinha que me desfazer de um para pegar outro, mais isso não vem ao caso).

Mais uma coisa que eu nunca deixei de fazer mesmo tendo todos esses videogames em casa era de jogar nos Arcades (Fliperamas), sempre que arrumava alguns trocados lá ia eu e alguns amigos jogar algum jogo nos Arcades, eu praticamente batia cartão em Fliperamas próximos de minha casa, e algumas vezes até em Fliperamas bem distantes, porque apesar de ter videogames em casa e possuir diversos jogos era nos Arcades que a gente experimentava a melhor experiência em determinado jogo, e nem precisava ser expert para ver as diferenças dos jogos de videogames para os dos Arcades, e ainda existiam muitos jogos que chegavam primeiro aos Arcades para que muito tempo depois soltassem uma versão do mesmo jogo para os videogames.

Pois bem, certo dia eis que alguém me aparece com uma revista de videogame que vinha com os dizeres “esse é o novo videogame da SEGA o Dreamcast o videogame que é tão potente quanto um Arcade” (não lembro bem se era dessa forma que estava escrito, mais é assim que eu lembro), pronto, em fim eu ia poder ter um videogame que me daria toda aquela qualidade vista nos Arcades em minha própria casa, era praticamente um sonho se realizando, e assim que começo a ler a matéria sobre o tal Dreamcast a emoção só aumentava, pois segundo a revista um Arcade podia processar 1 milhão de polígonos por segundo enquanto que o Dreamcast podia processar 3 milhões por segundo , quer dizer que o tal do Dreamcast era 3 vezes mais potente que um Arcade, naquele mesmo instante eu já me decidi, "esse vai ser meu próximo videogame".

Muito tempo depois, eis que chega o dia em que eu consigo comprar o meu Dreamcast, mais já que o dinheiro estava meio escasso eu não consegui comprar nenhum jogo junto com o videogame, mais ainda sim o videogame vinha com um CD de demonstrações de jogos, e um dos jogos desse CD de demonstração era o jogo “Sonic Adventure” e o mais legal era que você podia jogar a primeira fase do jogo, já que a maioria dos outros jogos presente nesse CD eram apenas vídeos para você assistir.

Apesar de ser somente uma demonstração eu joguei aquela primeira fase do jogo por diversas vezes, eu e uns amigos chegamos até a fazer campeonatos de quem terminava a fase em menor tempo, era bem divertido. Jogar com o Sonic naquele mundo em 3D era coisa fora do normal, você podia sair correndo de forma desenfreada e em certo ponto até ser perseguido por uma baleia (orca) que ia destruindo tudo atrás de você, ou então, você podia ir devagar apreciando a beleza do jogo em seus mínimos detalhes encontrando vidas escondidas em lugares inimagináveis ou mesmo power ups.

Já em posse do CD completo do jogo eu em fim poderia desfrutar de tudo que aquele jogo reservava, e a primeira coisa que me chamou a atenção era que ao invés de irmos de uma fase para outra, a gente tinha que ficar andando por uma cidade (Station Square) procurando o lugar certo para em fim passarmos para a próxima fase, tenho que admitir que depois de um tempo já não estava mais vendo graça naquilo e ficava me perguntando o porque de não colocarem uma opção para irmos direto para a próxima fase.

Apesar de gostar muito do jogo eu ficava meio irritado com alguns bugs que vez ou outra aconteciam quando eu estava em velocidade com o ouriço azul, bugs como estar correndo e do nada você cair fora de plataformas ou mesmo do próprio cenário, tinha certos pontos que eu já até sabia que ali eu tinha que ir devagar por que senão era certo que eu ia perder uma vida com uma queda abrupta do cenário, mais ainda assim eu gostava e muito de jogar com o Sonic, e conforme a gente ia avançando na historia do jogo íamos encontrando os amigos do Sonic e assim esses iam sendo destravados no menu de seleção para que se pudesse jogar com eles posteriormente.

Cada personagem tinha seu estilo próprio, um bem diferente do outro, enquanto que com “Sonic”você saia correndo pelos cenários como se não houvesse amanha, com “Tails”você já tinha que ir de uma forma mais moderada pegando alguns elementos nas fases para assim poder passar para a fase seguinte, você também poderia escolher “Big the Cat” e para conseguir passar de fase você teria que ficar pescando determinada quantidade de peixes, bichos ou sei lá o que para assim você conseguir ir para a próxima fase, o jogo ainda contava com “Knuckles”, “Amy Rose” e “E-102 Gamma”, cada qual com estilos e jogabilidades próprias, diferentes uma das outras, mas que quando você terminasse o jogo com todos os personagens você em fim conseguiria enfrentar o chefe final do jogo “Perfect Chaos”.

Além da jogabilidade e estilo diferente os personagens contavam com historias paralelas e finais próprios, mais a historia principal girava em Sonic e Tails tentando impedir “Chaos” de pegar as esmeraldas do caos, pois Chaos se alimentava dessas esmeraldas e a cada esmeralda que ele ingeria ele ia aumentando de tamanho e tomando formas mais agressivas e perigosas, e lógico que “Dr. Eggman” não poderia deixar a oportunidade passar e também sai em busca das esmeraldas para que com elas ele possa controlar Chaos e assim conseguir destruir Station Square.

O jogo ainda contava com uma trilha sonora impecável onde que para cada fase ou mesmo ação que estivesse acontecendo na historia essa ia mudando e se encaixando de forma muito bem feita e coesa, em fases onde a ação corria solta você tinha musicas rápidas e alucinantes, e em fases mais cadenciadas você tinha musicas mais calmas, tudo bem feito e pensando para deixar você ainda mais empolgado, fora que cada personagem tinha uma musica tema “cantada” para cada um, a trilha sonora chamou tanta atenção que chegaram a lançar um CD duplo com todas as faixas para você pode ficar escutando no seu rádio. Outra coisa que chamava a atenção era que durante as cutscenes do jogo os personagens tinham vozes durante os diálogos o que deixava tudo ainda mais legal.

Outra coisa interessante é que além de ser possível jogar seguindo a historia do jogo, o jogo ainda contava com algumas outras coisas possíveis de serem feitas dentro do jogo para aumentar o tempo de diversão, coisas como o “Chao Garden” onde você poderia criar e evoluir os bichinhos que você ia achando durante o jogo, adicionaram também um modo “Trial” onde você consegue acessar de forma bem rápida os mini games do jogo, eles também espalharam por todas as fases emblemas que você ia achando e com isso iam sendo destravadas novas opções no menu do jogo, fora o fato que nesse jogo você não precisa se preocupar com o tempo, porque mesmo se o relógio (contador) chegar a marca dos 10 minutos você ainda podia continuar jogando sem medo de perder uma vida como acontecia em jogos antigos da franquia.

Sonic Adventure foi lançado mundialmente em 1999 para Dreamcast e teve uma grande aceitação do publico em geral sendo considerado até hoje por muitos como o melhor jogo em 3D da franquia, o jogo vendeu mais de 2 milhões e meio de copias se tornando o jogo mais vendido do Dreamcastmas como não poderia deixar de ser, ainda existiam aqueles que viraram a cara dizendo que o jogo tinha perdido toda a identidade que os jogos antigos levavam consigo. E em 2003 o jogo ganhou uma versão para o Game Cube denominada “Sonic Adventure DX: Director’s Cut”, e anos mais tarde ainda viria ser lançando também para Playstation 3 e Xbox360.


Video Gameplay



(Dissection)





Posts Relacionados